domingo, 31 de julho de 2011

Marcha da Impunidade Relembra Crimes como o de Juan Moraes

Por Michael Caceres|Correspondente do The Christian Post
 
A Marcha Contra a Impunidade no Rio de Janeiro, organizada pela ONG Rio de Paz, acontece neste domingo (31) a partir das 14 horas com partida prevista da Praia de Copacabana.
marcha contra impunidade
(Foto: Marcha Contra a Impunide)
Imagem da estátua de Cristo segurando faixa perguntando sobre quem matou o menino Juan Moraes.
Entre os temas propostos está a morte do menino Juan. Seu corpo desapareceu e reapareceu dias depois, irreconhecível: apenas pés, mãos e a ossada. Cartazes com a frase “Quem matou Juan?” estão sendo divulgados nas redes sociais, como twitter e facebook. Lideres evangélicos divulgam em suas redes sociais a Marcha Contra a Impunidade no Rio de Janeiro.
Além desse tema, um levantamento estatístico de número de pessoas desaparecidas no estado, número de homicidas sem punição, número de policiais mortos em serviço estão sendo divulgados.
A ONG Rio de Paz é formada por cidadãos de todos os segmentos da sociedade, interessados na defesa dos direitos humanos, não tem vínculos políticos, nem está ligada a instituição pública. Surgiu em janeiro de 2007, logo após a onda de atentados que varreu a cidade do Rio de Janeiro, no final do ano de 2006. Naquela ocasião dezenove pessoas foram mortas, oito delas queimadas vivas em um ônibus interestadual. De acordo com a ONG, nos últimos dez anos 500.000 brasileiros foram vítimas de homicídio.
“A nossa intenção é realizar um ato público contra o baixo índice de elucidação de autoria de homicídio no estado do Rio de Janeiro, no dia 31 de julho, na praia de Copacabana, no posto 6, a partir das 14h. Voluntários, determinados membros da sociedade civil estarão vestidos de camisa preta numa marcha contra a impunidade nos casos de crimes contra a vida", disse o presidente da ONG, Antônio Carlos Costa.
Para o presidente nenhuma democracia suporta tamanha impunidade e não há sentido em vivermos em uma sociedade onde o direito à vida não está assegurado. “Por que temos que assistir mudos a ousadia de homens perversos que não encontram resistência por parte da sociedade num contexto de ineficiência no combate ao crime por parte do poder público?” Questiona o presidente.
A marcha tem recebido apoio de muitos lideres evangélicos que divulgam em suas redes sociais banners, cartazes, imagens e vídeos sobre o tema.
Abaixo algumas reinvindicações que serão abordadas na marcha:
1. Julgamento e punição para os assassinos de Juan.
2. Manutenção da investigação em casos de auto de resistência (pessoas mortas em confronto com a polícia).
3. Maior investimento em verbas e pessoal em corregedorias externas às polícias civil e militar, que prestem regularmente à sociedade contas de seu trabalho.
4. Trabalho diligente e cuidadoso na elucidação da autoria de homicídio doloso.
5. Investigação dos casos de desaparecidos com indícios de homicídio.
O Rio de Paz, desde 2007, vem lutando pela implementação de 15 medidas essenciais para a diminuição das mortes violentas no Brasil. Mas, não há política de segurança que faça homicídio cair sem que os culpados por crime tão grave sejam punidos.

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Ato Ecumênico Contra a Violência

Ato ecumênico homenageia vítimas da Chacina da Candelária 18 anos depois

Mães da Chacina de Realengo, de Acari, da Baixada Santista, de filhos mortos violentamente compareceram ao evento para exigir Justiça e o fim da violência

AGÊNCIA BRASIL 22/07/2011 15h32

 
Gerações de mães e familiares de vítimas de chacinas e de desaparecidos reuniram-se nesta manhã (22) na Igreja da Candelária, em um ato ecumênico, para lembrar os 18 anos da chacina da Candelária, quando policiais militares assassinaram oito meninos de rua, no Centro do Rio de Janeiro.
Centenas de pessoas, na maioria crianças e adolescentes, ocuparam a igreja. Mães da Chacina de Realengo, de Acari, da Baixada Santista, de filhos mortos violentamente compareceram ao evento para exigir Justiça e o fim da violência. Algumas mães passaram mal, devido à emoção que envolveu o evento.
Mãe de Luiza Paula, morta na Chacina de Realengo, em abril passado, Adriana Maria da Silveira, entregou a ministra da secretaria dos Direitos Humanos, Maria do Rosário, que participou do culto, um documento com solicitações do grupo de familiares e amigos das vítimas da chacina.
"Não estamos pedindo muito, apenas segurança para quem ficou, o sangue de nossas crianças não pode ter sido derramado em vão e a nossa luta vai continuar", disse Adriana.
Maria do Rosário lamentou o alto número de crianças e jovens mortos por causas violentas que, segundo ela, é de cerca de 15 mortes por dia em todo o país. "Todos os dias temos uma tragédia da Candelária no Brasil. E este ato significa que a sociedade se une e cobra de seus governos. Precisamos de uma sociedade ativa e o protagonismo do jovem é fundamental".
A ministra admitiu que faltam mais políticas públicas integradas para solucionar o problema da violência no país, mas lembrou que a Constituição estabelece que crianças e adolescentes são de responsabilidade da sociedade, dos governos e das famílias. "Por isso, precisamos fazer isso juntos".
Na opinião do membro do Conselho Nacional dos Direitos das Crianças, Carlos Nicodemos, após 21 anos da criação do Estatuto da Criança e do Adolescente, o alto número de assassinatos desse grupo ainda é um desafio para a sociedade e para o Estado. "É preciso aprimorar o sistema de proteção, os conselhos tutelares precisam ser qualificados e melhorados para que atuem preventivamente na correção dos direitos violados, enfim o estatuto precisa ser implementado e políticas precisam ser concretizadas para a gente poder virar essa página de violência no Brasil.
Ao fim do evento, dezenas de crianças depositaram no altar fotos com flores de vítimas da violência. Após o culto, a multidão fez uma caminhada até a Cinelândia, que já serviu de palco para inúmeras manifestações sociais como o emblemático movimento das Diretas Já, pelo voto direto, em 1984.

Acordo contra o Crime


Brasil e Colômbia assinam em agosto acordo para combater criminalidade

Agência Brasil
Vitor Abdala
 
Rio de Janeiro – Brasil e Colômbia assinam, no dia 5 de agosto, um acordo de operações conjuntas contra a criminalidade na fronteira. A informação foi divulgada hoje (22) pelo ministro da Defesa, Nelson Jobim.
A assinatura do acordo faz parte do Plano Estratégico de Fronteiras, lançado pelo governo federal no início de junho, que tem por objetivo unir as polícias e as Forças Armadas no combate ao crime transnacional.
A Colômbia, que faz fronteira com o estado do Amazonas, é o maior produtor de cocaína do mundo e convive, há anos, com guerra civil.
O plano prevê a atuação das forças de segurança e defesa em pontos estratégicos da faixa de fronteira dos países. O Centro de Operações Conjuntas (COC) do Ministério da Defesa coordenará os trabalhos.
Segundo Jobim, os últimos detalhes operacionais do plano deverão ser acertados no dia 4 de agosto entre os ministérios da Defesa e da Justiça.

Armas não Letais

Mais de 15 mil armas não letais são usadas por polícias no País

22 de julho de 2011 13h16
Dentro da concepção de emprego gradual da força, recomendada pela Organização das Nações Unidas, as armas de uso não letal começam a ganhar espaço entre as forças policiais do Brasil. Estima-se que mais de 15 mil pistolas de ondas T (conhecidas como taser) estejam nas mãos se órgãos de segurança, em companhia de espargidores da gás pimenta, spray colante, bombas de efeito moral e balas de borracha, que também integram o arsenal.
Conheça como funciona a arma não letal

A partir de 2009, o Ministério da Justiça, por meio da Secretaria Nacional de Segurança Pública investiu cerca de R$ 13 milhões na compra de 4 mil armas taser, que estão sendo repassadas à Força Nacional de Segurança Pública e aos 19 Estados que fazem parte do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci).
Essas armas agem diretamente sobre o sistema nervoso central, com o objetivo de paralisar a pessoa por alguns segundos, tempo necessário para sque possa ser mobilizada. O equipamento dispara dardos paralelos a distâncias que podem chegar a 10,6m, com uma descarga elétrica de 50 mil volts, porém, com baixa corrente. Ela é utilizada como uma alternativa tática, mas não substitui a arma de fogo em um confronto.
Em maio, 25 dessas armas foram doadas à Guarda Civil Municipal de Diadema, cidade do ABCD paulista, na Grande São Paulo. Depois de um período de treinamento, elas começaram a ser utilizadas no mês seguinte pela corporação.
Conhecida como uma das cidades mais violentas do Brasil nos entre os anos de 1980 e 2000, a cidade tem conseguido uma baixa significativa no número de homicídios. No primeiro semestre deste ano, foram registrados 15, contra 124 no mesmo período de 2002. Naquela época, passou a vigorar a lei municipal de fechamento de bares e similares a partir das 23h.
De acordo com Emílio D'Angelo Júnior, subcomandante da GCM de Diadema, entre as recomendações da fabricante está não utilizar a arma contra mulheres grávidas e idosos. Apesar de a arma ser considerada não letal, um dos riscos para quem recebe a descarga elétrica está em ferimentos provocados pela queda.
"Ao ser atingido pelos dardos, a pessoa perde a coordenação motora e desaba. Um dos riscos que a arma traz é a possibilidade de, na queda, sofrer alguma lesão", diz. Ele afirma que uma situação a ser evitada, por exemplo, é atingir uma pessoa que esteja em cima de um muro", por exemplo. Os guardas municipais da cidade também andam armados. A taser fica do lado oposto da cintura à arma de fogo.
Paulo Rogério Luz, representante da empresa que comercializa as armas no Brasil, diz que no mundo já são mais de meio milhão de armas em mais de cem países. "Nos EUA, onde foi criada a ideia da arma não letal, ela já é uma ferramenta pradrão, presente em mais de 6 mil departamentos de polícia. É um tipo de arma que interessa ao cidadão. A ele, não é interessante que a polícia saia por aí dando tiro adoidado", diz.
Luz afirma que no Brasil o conceito ainda está em fase inicial de implementação. Segundo ele, ainda há uma elitização no seu uso. "Quando as armas são entregues, o que se percebe é que elas acabam na mão dos policiais mais graduados e não exatamente no policiamento ostensivo nas ruas. Batalhões de elite como o bope, no Rio de Janeiro, o Core e o Gate as possuem. Mas é raro ver na mão de um policial de rua", diz o empresário.

Troca de Tiros

Escolta de Beltrame troca tiros com bandidos na zona sul do Rio

Policiais presenciaram ladrões tentando roubar o carro de um bombeiro na Lagoa. Suspeitos fugiram

iG Rio de Janeiro | 22/07/2011 12:31

A Secretaria de Segurança Pública do Rio de Janeiro informou na tarde desta sexta-feira (22) que os policais que trocaram tiros com bandidos que tentaram roubar o carro de um bombeiro na Lagoa, na zona sul da capital, no início desta manhã, faziam parte da equipe que faz a escolta do secretário José Mariano Beltrame, que não estava no local na hora do fato.

Em nota, a pasta informou que os seguranças de Beltrame, que estavam em uma Captiva, rendiam um outro grupo da escolta quando avistaram uma dupla roubando um veículo Gol de propriedade do bombeiro e um posto de gasolina na avenida Epitácio Pessoa, na Lagoa.
Os agentes deram voz de prisão aos criminosos, que reagiram a tiros. Um dos suspeitos foi baleado no braço. Em seguida, os ladrões pegaram uma moto e fugiram.
O caso foi registrado na 15ª DP (Gávea) e a perícia já esteve no local. O 23º BPM (Leblon) vasculha as redondezas e hospitais públicos na tentativa de localizar o marginal ferido.

Fardas do Bope apreendidas poderiam ser usadas em invasões

Fuga do chefe do tráfico mobiliza polícia do Rio

7h22, 22 de Julho de 2011

Marcelo
 
Fardas do Bope apreendidas poderiam ser usadas em invasões.
Um dos traficantes mais perigosos do Rio de Janeiro está de volta às ruas. Apontado como homem de confiança do traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, Jorge Alexandre Cândido Maria, o Sombra, deixou o Instituto Penal Vicente Piragibe, em Bangu, na zona oeste do Rio de Janeiro, no último dia 8 e não retornou, como deveria.
Preso desde 2003 e com passagem pelo Presídio Federal de Catanduvas (MS), o criminoso passou para o regime semiaberto em 10 de maio do ano passado. O benefício de ir para a rua durante o dia e voltar ao presídio para passar a noite, no entanto, só foi concedido no dia da fuga. Antes disso, o direito ao benefício estava sob análise.
De acordo com a Seap (Secretaria de Administração Penitenciária), Sombra rompeu a tornozeleira de monitoramento eletrônico e o último sinal emitido pelo equipamento foi registrado em Manguinhos, na zona norte do Rio. A presença do traficante nessa região pode ter relação com suposta invasão a favelas dominadas por traficantes rivais.
Além da presença de Sombra, que já comandou o tráfico na favela da Rocinha (zona sul), quando a comunidade era controlada pelo grupo liderado por Beira-Mar, as favelas de Manguinhos e Mandela passaram a abrigar dezenas de criminosos que perderam território para as UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora), principalmente na Mangueira e no Complexo do Alemão (ambas na zona norte).
A movimentação dos criminosos passou a ser observada com mais atenção por investigadores da Delegacia de Bonsucesso (21ª DP) nesta quinta-feira (21), quando um homem foi preso com uma Kombi onde foram encontradas 25 fardas completas (calça e camisa) do Bope (Batalhão de Operações Especiais), além de 19 pares de coturnos, além de coletes à prova de balas. O material seria levado para a favela do Mandela, em Manguinhos (zona norte).
A polícia investiga se o material seria usado por criminosos na invasão. De acordo com investigadores da 21ª DP, os possíveis alvos da quadrilha poderiam ser o morro do Urubu, em Pilares, e o morro da Serrinha, em Madureira (os dois na zona norte), que há anos é palco de disputa entre traficantes.
O comandante do 22º BPM, tenente-coronel Gláucio Moreira, diz não ter elementos para afirmar se os criminosos iriam invadir uma comunidade considerada rival, mas admitiu que essa é a principal hipótese levantada pela PM para o transporte das fardas.
O uso de roupas do Bope teria dois objetivos: a camuflagem durante uma invasão à noite e amedrontar os rivais, que poderiam pensar se tratar de uma incursão policial e não uma invasão de traficantes.

Matemático saiu para "trabalhar" e não retornou


Setores de inteligência da Polícia Civil e da Seap tinham informações de que Sombra, quando voltou ao Rio saído da penitenciária de segurança máxima, tentaria retomar o controla da Rocinha, pois o criminoso teria grande influência entre pessoas ligadas ao tráfico. Ele também tem forte ligação com a favela Vila Kennedy, na zona oeste.
Um dos criminosos mais procurados do Rio, Márcio José Sabino Pereira, o Matemático, principal chefe de uma das três facções criminosas que atuam no Rio, também ganhou as ruas após ser beneficiado pela progressão de regime. Matemático ganhou o direito de trabalhar, mas a funerária na qual ele conseguiu emprego, em Realengo, na zona oeste do Rio, pertencia à advogada dele. O criminoso saiu para supostamente dar expediente na funerária e não retornou, em maio de 2009.
Fonte:Marcelo Bastos, do R7

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Campanha de Trânsito - DENATRAN

Ministério das Cidades e Denatran lançam nova campanha de trânsito

O período de férias se aproxima, e é quando a circulação de veículos cresce significativamente, aumentando, também, o risco de acidentes. Com o objetivo de reduzir as ocorrências de trânsito no período das férias de julho, o Ministério das Cidades, por meio do Departamento Nacional de Trânsito – Denatran, lança mais uma campanha nacional pela redução da violência no trânsito: a PARE, PENSE, MUDE.
A iniciativa faz parte do movimento PARADA – Pacto Nacional pela Redução de Acidentes no Trânsito e está enquadrada na meta firmada com a OMS – Organização Mundial da Saúde. Preconizada pela Assembléia Geral das Nações Unidas para a Década de Ações para a Segurança no Trânsito (2011–2020), a meta prevê uma redução em até 50% das mortes ocasionadas pela violência no trânsito nos próximos 10 anos.
Uma meta que já começa a ser perseguida com sucesso, como foi constatado durante o feriado de Corpus Christi deste ano.  Houve uma redução de mortes, acidentes e feridos comparados ao mesmo período do ano passado, em rodovias federais, de todo o país. O número de óbitos reduziu em 35%, mesmo com o crescimento de 9,28% da frota de veículos registrado entre maio de 2010 e maio de 2011, segundo dados do Denatran.
A campanha PARE, PENSE, MUDE teve início dia 30 de junho com o objetivo de conscientizar todos os brasileiros sobre a necessidade de mudança do comportamento das pessoas no trânsito. A mudança de atitude de cada um pode fazer do trânsito um espaço de convivência mais pacífico e seguro.
Pesquisas do Ministério das Cidades indicam que a atitude normal das pessoas é culpar os demais pelos problemas no trânsito. De acordo com as 2.000 entrevistas, 3 em cada  4 brasileiros se enxergam como solução, em vez de problema no trânsito. E consideram não ser necessário mudar suas atitudes.
Observa-se que a maioria dos problemas é atribuída às práticas dos “outros” e quase nunca à própria conduta ao volante, nas ruas e calçadas. Apenas quando indagados de forma objetiva sobre certas atitudes (como o uso do cinto no banco traseiro, o respeito aos limites de velocidade, a preocupação em beber e dirigir, o uso da faixa de pedestre, etc.) é que alguns reconhecem falhas e passam a se ver mais como problema do que como solução.
Apenas os motoristas de carro vêem em seus iguais o “principal adversário”. Ciclistas e motociclistas acham que a culpa costuma ser dos motoristas de carro. Já os motoristas profissionais culpam os ciclistas.
Segundo o Ministro das Cidades, Mário Negromonte, “para melhorar o comportamento no trânsito é preciso da sensibilização de toda a sociedade e dos agentes públicos”.
O conceito da campanha é: “O trânsito só muda quando a gente muda”.
A iniciativa contará com comerciais veiculados nas TVs, rádios, anúncios em revistas e internet e redes sociais.
O Ministério também considera importante ocupar os espaços exteriores de grande circulação de pessoas e veículos.  Para isso estão programadas mensagens educativas nos postos de gasolina, pedágios, paradas de ônibus, parabrisas de taxis e ônibus e outdoors em avenidas e estradas para orientar os motoristas que sairão de férias.
O Ministério das Cidades também disponibiliza o endereçowww.rotasdascidades.com.br, que traz informações sobre roteiros e condições das rodovias.
O lançamento da campanha conta com o apoio de empresas, entidades representativas, da Polícia Rodoviária Federal e de Detrans

Elite da Tropa

Autor de Elite da Tropa participa de seminário no TJ


A organização do Seminário Nacional Poder Judiciário e Segurança Pública confirmou a participação do especialista em sociologia urbana e consultor de segurança pública, o coronel reformado da Polícia Militar do Rio de Janeiro, Rodrigo Pimentel.
O ex-integrante do Batalhão de Operações Especiais (BOPE) participará dos debates do evento, que acontece nesta segunda-feira (25), no plenário do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL).
Rodrigo Pimentel tem larga experiência na área de segurança pública e atuou em operações no combate ao tráfico de drogas em morros e áreas com alto índice de violência na cidade do Rio de Janeiro. Autor do livro Elite da Tropa, que deu origem ao filme Tropa de Elite, coprodutor do documentário Notícias de Uma Guerra Particular e Ônibus 174, Pimentel é atualmente comentarista de segurança de uma das principais redes de televisão do país.

O Evento

A realização do evento é uma parceria do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL) e reúne ministros de Estado e de Tribunais Superiores, generais das Forças Armadas e representantes das principais associações nacionais da magistratura, para discutir temas relacionados à garantia da lei e da ordem, segurança institucional, estratégia nacional de segurança pública e cooperação entre Judiciário e Forças Armadas.
A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) e vice-presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Carmem Lúcia Antunes Rocha e o ministro de Estado da Defesa Social, Nelson Jobim, abrirão os trabalhos do seminário a partir das 9hs. Confira a programação completa do evento.
Fonte:Dicom/TJ

Redução de Índices de Criminalidade

Política de segurança reduz índices de criminalidade no Interior


A redução dos índices de criminalidade, divulgados todos os meses pelo Instituto de Segurança Pública (ISP), também é realidade no interior fluminense. A Área Integrada de Segurança Pública (AISP) 29, em Itaperuna, é um exemplo. Composta pelo 29° Batalhão de Polícia Militar (BPM) e delegacias legais da região, a AISP cumpriu de janeiro a junho de 2011 as metas estabelecidas pela Secretaria de Segurança no Sistema de Metas e Acompanhamento de Resultados.

O comandante do 29° BPM, coronel James Barros, atribui a redução da criminalidade na AISP que inclui também os municípios de Laje do Muriaé, Porciúncula, Natividade, Varre-Sai, São José de Ubá, Bom Jesus de Itapaboana, Cardoso Moreira e Italva – à integração entre as polícias Civil e Militar.

Os policiais da AISP 29 ficaram em segundo lugar na terceira etapa do programa de metas, referente ao segundo semestre de 2010, e receberam gratificação no valor de R$ 2 mil.

"Nós alcançamos todos os objetivos de janeiro a junho deste ano. Neste semestre, não registramos roubo de veículos, contabilizamos apenas quatro roubos de rua e tivemos 13 casos de letalidade violenta. Depois da premiação, a tropa começou a trabalhar com muito mais empenho e nossa relação com a Polícia Civil está cada vez mais estreita, o que nos permite ter informações detalhadas sobre as operações realizadas na região", disse o comandante.

Na pesquisa dos indicadores estratégicos de maio, as AISPs 26 (Petrópolis) e 30 (Sumidouro) também se destacaram. Em Petrópolis, foi registrado apenas um roubo de veículo – no mesmo período de 2010, foram 4. Os roubos de rua caíram de 19 para 9. Na área da AISP 30 não houve roubo de veículo em maio. No mesmo mês de 2010, um caso foi registrado. Os roubos de rua caíram de 7 para 4.

Registro de estupros aumenta no Estado

Apesar da redução nos índices no Estado, o registro de estupros e atentado violento ao pudor ( AVP) aumento na região. De acordo com os dados do ISP, em junho de 2010 foram registrados 347 casos. Já no mesmo mês de 2011, foram 395. Um aumento de 48 atentados em 12 meses.

Já no intervalo de abril a junho, o índice é ainda mais alarmante. O número de casos aumentou de 1029 para 1201. Um aumento de 172 casos de estupro e AVP em apenas dois meses.

Dilma deve apoiar segurança do RJ

Dilma diz que governo federal deve apoiar segurança do RJ

Ela participou da inauguração de um teleférico no Morro do Alemão

Globo.com
 
A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta quinta-feira (7), durante a inauguração de um teleférico no Complexo do Alemão, que o governo federal deve apoiar as forças de segurança do Rio de Janeiro para garantir um efetivo combate à violência no estado.
“Nós devemos, sim, apoiar as forças de segurança do estado, aqui representado pelo secretário [de Segurança] José Mariano Beltrame, no sentido de construir um ambiente que não mais dialoga com a violência”, disse.

Em novembro do ano passado, as Forças Armadas, por determinação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e aval do governador do Rio, Sérgio Cabral, participaram das operações da Polícia Militar carioca de invasão do Morro do Alemão e combate ao tráfico de drogas.
Eu cumprimento o nosso general José Elito, chefe do Gabinete de Segurança Institucional, que representa justamente a parte do governo federal junto com o Ministério de Defesa e Forças Armadas na contribuição para construir um ambiente de harmonia e paz no Alemão”, afirmou Dilma, durante a cerimônia desta tarde no Complexo do Alemão.

Função do Estado

Ainda durante o discurso no lançamento do teleférico, Dilma afirmou que o atual governo está resgatando o dever do Estado de “gastar dinheiro” com a população mais necessitada.

“O Brasil tinha o hábito de uma parte da população ser condenada ao máximo do abandono, à máxima da negligencia e não ter direito a nenhum dos principais serviços públicos. O que estamos fazendo é que o estado brasileiro assuma a sua função de gastar dinheiro com os que mais precisam”, disse.

Dilma também afirmou que o teleférico melhorará as condições de transporte público no Rio de Janeiro. “É uma obra além de necessária muito bonita, que mostra o intenso respeito pelos moradores do complexo do alemão. Eles terão o direito a ter acesso às melhores tecnologias do transporte de massa”, disse.

Ela destacou ainda que a obra é resultado da parceria entre governo federal e o estado do Rio de Janeiro. “Vocês vejam que uma obra desse tamanho nunca tinha sido feito no Brasil, que é um teleférico, uma obra de mobilidade urbana. Essa obra é fruto de uma parceria muito estreita. Uma parceria de interesses comuns e muito claros, do povo do Rio de Janeiro. E o povo aqui do alemão."

Dados ISP do Rio de Janeiro

07 às 12h31

Estado diz ter reduzido todos os indicadores de criminalidade no primeiro semestre 


O Instituto de Segurança Pública (ISP) divulga hoje (21.07.11) as incidências criminais e administrativas de segurança do Estado do Rio de Janeiro relativas ao mês de junho de 2011. 
Com a nova definição dos indicadores estratégicos para o sistema de metas estabelecido pela Secretaria de Segurança do Estado, estão sendo monitorados os seguintes índices estratégicos: letalidade violenta (somatório do número de vítimas de homicídios dolosos, lesões corporais seguida de morte, latrocínio e auto de resistência); roubo de veículos e roubo de rua (somatório de incidências de roubo a transeunte, roubo a coletivo e roubo de aparelho celular).
Os indicadores ampliaram os títulos monitorados anteriormente, além de atribuir metas de redução para latrocínios e autos de resistência, pois agora, fazem parte do indicador letalidade violenta.
O ISP constatou redução em todos os títulos considerados estratégicos para a Secretaria de Segurança no somatário dos 6 primeiros meses do ano. Cabe destacar que todas as metas estabelecidas para o semestre foram alcançadas e ultrapassadas. Quanto ao título letalidade violenta, foram 2.719 vítimas em 2011 e 3.162 em 2010. Em relação aos roubos de veículos, foram 9.015 casos no primeiro semestre deste ano e 10.856 no primeiro semestre do ano passado. E quanto ao número de roubos de rua, foram 35.015 casos em 2011 e 40.821 em 2010.    
Vale lembrar que as metas do semestre para redução dos delitos considerados estratégicos pela Secretaria de Estado de Segurança são:

Letalidade violenta – redução de 6,67%;
Roubo de Veículo – redução de 5,13%;
Roubo de Rua – redução de 4,64%.

Furto em Sala de Delegado

Polícia do Rio apura furto ocorrido em sala de delegado

Agência Estado

A Polícia Civil do Rio de Janeiro investiga o furto de R$ 5 mil ocorrido na sala do delegado Márcio Franco, titular do Departamento Geral de Polícia Especializada (DGPE), no centro da cidade. O delegado já prestou todos os esclarecimentos na 5.ª Delegacia de Polícia, de Mem de Sá, que apura o caso. A data do crime não foi informada.
Em nota, a corporação afirmou que "assume a fragilidade da segurança de sua sede, que hoje passa por uma série de reformas, entre elas a instalação de câmeras em todos os andares". A Polícia Civil disse que está tomando todas as providências necessárias para resolver a questão.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Segurança Viária - Dia Mundial sem Carro

Meio Ambiente
Seminário sobre segurança viária

Com o evento, a Prefeitura do Rio começa a se mobilizar para o Dia Mundial Sem Carro

22/07/2011

A Prefeitura do Rio já começa a se mobilizar para o Dia Mundial Sem Carro, a ser realizado em 22 de setembro. Para isso, será realizado hoje um seminário no Cass intitulado "Painel de Segurança Viária", em que vários técnicos do município, além de convidados de outras instituições, vão apresentar questões e discutir temas voltados para segurança e mobilidade. O objetivo é despertar nas pessoas a consciência dos benefícios que uma mudança no atual modelo viário pode trazer.

Vergonha

Secretário de Segurança do Rio sobre caso Juan: 'É vergonhoso'

Beltrame reclamou de erros da polícia na investigação da morte de menino de 11 anos após tiroteio na favela onde a criança morava.

Opinião
 

PL 370/2011

20/07/2011 18:00

Proposta fixa diretrizes para ações de pacificação em todo o País

A Câmara analisa o Projeto de Lei 370/11, que institui, em âmbito nacional, diretrizes para os programas de pacificação social, policiamento comunitário e instalação de Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs).
A proposta também autoriza a União a transferir recursos diretamente a estados, municípios e ao Distrito Federal, sem a necessidade de convênio ou contrato, para a prestação de serviços públicos comunitários prioritários em áreas em pacificação.
O objetivo da proposta, segundo seu autor, deputado Alessandro Molon (PT-RJ), é “nacionalizar e ampliar a experiência desenvolvida no estado do Rio de Janeiro com a instalação das UPPs”.
Princípios
Para tanto, o texto estabelece princípios a serem seguidos na implementação de políticas de pacificação em regiões que enfrentam tráfico de drogas, milícias e grupos de extermínio, entre outros.
Entre os princípios, estão: promoção dos direitos humanos, garantia do acesso à Justiça, revitalização dos espaços públicos, atendimento especializado às vítimas da criminalidade, participação da sociedade civil e oferecimento de programas educativos e profissionalizantes para pessoas em situação de rua.
Segundo a proposta, a gestão dos programas estará a cargo das secretarias estaduais e dos ministérios de diversas áreas: segurança pública, educação, cultura, trabalho, assistência social, direitos humanos, justiça, igualdade racial.
O projeto prevê a implementação de ações de forma articulada e sob a análise de um conselho gestor, dos quais participarão representantes dos governos federal, estadual e local e de entidades da sociedade civil.
Para Molon, a medida deve garantir segurança de forma permanente, com respeito à participação da comunidade. Ele ressalta que, no Brasil, prevalece a violência institucional histórica, presente não apenas nas ações da polícia, mas sobretudo na “incapacidade” do Estado e governos de ofertar, “justamente para as populações que mais precisam”, acesso a serviços básicos de cidadania.
Na avaliação do parlamentar, “os problemas não são fáceis, no entanto, não chegaremos a lugar nenhum se não buscarmos ouvir a comunidade num diálogo franco e aberto com seus moradores e suas lideranças mais legítimas”.
Serviços prioritários
De acordo com o projeto, os serviços públicos chamados prioritários em áreas em pacificação, que poderão ser financiados pela União por meio de transferência direta de recursos aos estados, ao Distrito Federal e aos municípios, compreendem:
- instalação de creches e escolas, inclusive para ensino técnico e profissionalizante;
- construção de áreas de lazer e quadras poliesportivas;
- construção de rede de energia elétrica e saneamento básico;
- garantia de acesso gratuito e coletivo à internet de banda larga;
- oferecimento de programas de acesso ao primeiro emprego aos jovens.
Após o recebimento dos recursos, os entes federados deverão prestar contas das ações implementadas em prazos definidos pelo Executivo em regulamento específico. Pela proposta, não será permitido o recebimento desse tipo de auxílio financeiro da União se o ente já receber outros benefícios resultantes de diferentes programas federais.
Continuidade das ações
O PL 370/11 estabelece que as atividades desenvolvidas pelas UPPs e pelo policiamento comunitário não poderão ser descontinuadas ou interrompidas.
Qualquer diminuição nos números de servidores ou policiais envolvidos no programa dependerá de análise de dados estatísticos sobre a violência e a qualidade de vida na comunidade, a serem debatidos em audiência pública.
Nesses encontros, deverão ser ouvidos representantes de entidades da sociedade civil, universidades e institutos de pesquisa, além de pesquisadores independentes.
Tramitação
O projeto terá análise conclusiva das comissões de Direitos Humanos e Minorias; de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta:

Segurança dos Jogos Militares RJ


Esquema de segurança dos Jogos Militares só será desmontado após delegações deixarem o Rio

Rio de Janeiro – As Forças Armadas vão manter o esquema de segurança para os Jogos Mundiais Militares até quatro dias após o término do evento, marcado para domingo (24), disse à Agência Brasil o major Mário Minoru, chefe da segurança dos Jogos. Ele explicou que isso é necessário por que muitas delegações estrangeiras levarão até quatro dias para deixar a cidade.
O major destacou que até o momento nada de grave foi registrado, mas admitiu que foram anotados alguns contratempos no trânsito, segundo ele, “comuns às grandes cidades” em razão, principalmente, do grande número de veículos.
“Temos procurado facilitar os deslocamentos sem causar grandes transtornos ao trânsito da cidade e, por conseguinte, à população do Rio de Janeiro. Estamos trabalhamos de forma integrada com o Centro de Operações da prefeitura de modo a facilitar os deslocamentos a partir das informações das câmeras de vigilância instaladas por toda a cidade”.
O major negou que os batedores que acompanham às delegações estejam agindo com truculência, apesar de admitir que o comando recebeu algumas reclamações. “Nós acompanhamos todos os deslocamentos e estamos sempre averiguando as reclamações que nos chegam. Mas houve todo um treinamento para atender bem a população e agir com cautela, de modo a garantir não só a segurança dos comboios, mas também da população”.
Minoru explicou que, na maioria dos casos, o que ocorre é que “o batedor tem pressa em abrir caminho para as delegações e, às vezes, há dificuldades de comunicação entre esses batedores e os motoristas. Mas, a orientação que nós temos dado é no sentido de que haja segurança e cordialidade no trato com qualquer cidadão”.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Bueiro pega fogo no Centro do RJ

Bueiro pega fogo no centro do Rio

Bombeiros do quartel Central foram acionados e ninguém ficou ferido
Do R7 | 20/07/2011 às 06h41


Publicidade

Um bueiro da RioLuz pegou fogo nas proximidades da avenida Rio Branco, esquina com Mairink Veiga, no centro do Rio, na madrugada desta quarta-feira (20). Ninguém ficou ferido.
Bombeiros do Quartel Central foram acionados e apagaram as chamas por volta das 2h.
Técnicos da empresa e da CEG e da Light estiveram no local.
A Prefeitura do Rio de Janeiro e o Crea-RJ (Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Rio de Janeiro) decidiram na terça-feira (19) contratar uma empresa para inspecionar 550 bueiros por dia na capital fluminense. A companhia contratada será responsável pela realização de 500 monitoramentos diários de caixas de inspeção (bueiros) e 50 monitoramentos diários de câmaras transformadoras (galerias onde há equipamentos elétricos). Por mês, deverão ser realizados 10.000 monitoramentos de bueiros e 1.000 monitoramentos de galerias com transformadores.

Veja imagens da explosão em Botafogo
Veja imagens dos locais onde ocorreram explosões


A contratação será feita em caráter emergencial, por seis meses. Esta iniciativa faz parte do acordo de cooperação técnica firmado entre a Prefeitura do Rio, o governo do Estado do Rio, o Ministério Público e o Crea-RJ. A assessoria da Prefeitura do Rio informou na tarde de terça que ainda não sabe quanto irá gastar com o serviço.
O monitoramento de risco deverá ser feito com detectores de gás (explosímetros), com leitura direta, para verificar a presença de gases inflamáveis e explosivos. Nos casos onde for comprovada a presença de gás na faixa de explosividade, a empresa deverá informar imediatamente o Centro de Operações da Prefeitura do Rio, as empresas concessionárias e respectivas agências reguladoras, o Crea-RJ e o Ministério Público.

Justiça pede investigação criminal de explosões

O Procurador-Geral de Justiça, Cláudio Soares Lopes, pediu na terça-feira (19) que as recentes explosões de bueiros na cidade sejam investigadas criminalmente. Ele encaminhou ofício à Coordenação das Promotorias de Justiça de Investigação Penal do Ministério Público do Estado do Rio.

Homem fica ferido após explosão de bueiro em Botafogo
Na última segunda-feira (18), um homem ficou ferido após a explosão de um bueiro na rua Camuirano, em Botafogo, na zona sul da capital fluminense. A Secretaria Municipal de Saúde informou inicialmente que ele fraturou as duas mãos, mas nesta terça-feira, a assessoria disse que ele fraturou apenas a mão esquerda. A Light (concessionária responsável pelo fornecimento de energia no Rio) confirmou a informação.

Rodrigo dos Santos foi atendido no Hospital Miguel Couto, na Gávea, e depois seguiu para uma unidade particular. Rodrigo trabalhava em uma obra no 2º andar do prédio que fica em frente ao local do acidente. A Light informou que ele receberá acompanhamento médico de uma ortopedista em casa.

Área onde bueiro explodiu continua interditada
A Light informou na terça-feira que a área onde houve ocorrência em caixa subterrânea, na rua Camuirano, em Botafogo, continua isolada por determinação dos peritos do ICCE (Instituto de Criminalística Carlos Éboli), que detectaram a presença de gás na rede subterrânea no local.

Vídeo mostra momento da explosão em bueiro no centro 

O fornecimento de energia para o prédio de nº 153 desta rua e para o comércio no andar térreo deste edifício foi normalizado. A Light informou ainda que vai finalizar os trabalhos para restabelecer a energia em dois apartamentos. A companhia está mantendo um gerador na localidade em caso de algum pedido de desligamento da rede, por parte da perícia, ou caso haja necessidade de serviços de manutenção.
Resposta da CEG
A CEG (Companhia Estadual de Gás) informou na tarde de segunda-feira (18) que não foi detectada presença de gás no bueiro que explodiu em Botafogo.
A empresa informou que, por medida de segurança, foram realizadas inspeções em outras caixas próximas ao local do acidente e, em duas, foi encontrado gás. Após análises laboratoriais ficou constatado que o gás encontrado nestas duas caixas não é originário da rede de gás canalizado.
Curto-circuito
A explosão do bueiro pode ter sido provocada por um curto-circuito interno, segundo informou o coordenador da Comissão de Análise e Prevenção do Crea (Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia), Luiz Cosenza. Ainda de acordo com o engenheiro, pela proporção do estrago, é possível que haja presença de gás na tubulação.
Segundo Cosenza, sem a presença de gás, a tampa teria sido arremessada a, no máximo, um palmo do chão. A explosão aconteceu após duas semanas de trégua, sem novos episódios envolvendo bueiros da Light.
- Quando elas sobem um ou dois metros certamente é devido à presença de gás, seja metano proveniente do esgoto ou da rede da CEG.
O engenheiro alertou ainda que toda a rede subterrânea do bairro pode apresentar risco, já que "o gás vai se espalhando e se acumulando ao longo das galerias". Segundo ele, nessas condições, qualquer fagulha pode causar uma explosão "até mesmo uma ponta de cigarro".

RJ: polícia encontra carro usado em fuga de assaltantes de hotel

RJ: polícia encontra carro usado em fuga de assaltantes de hotel19 de julho de 2011 18h10 atualizado às 18h18
Polícia do Rio procura mais três suspeitos de assaltar hotel de luxo em Santa Tereza. Foto: Divulgação

Um dos suspeitos de participar do assalto ao hotel de luxo teve o retrato-falado divulgado pela polícia
Foto: Divulgação

O carro usado na fuga pelo assaltantes de um hotel de luxo no bairro Santa Tereza, no centro do Rio de Janeiro, foi encontrado nesta terça-feira pela Polícia Civil. O veículo, que pertence a um funcionário do estabelecimento, estava abandonado na rua Uruguaiana, no Centro, e foi encaminhado para perícia.
Ontem, o secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, disse, por meio de nota, que a pasta vai reforçar ainda mais o policiamento no bairro onde fica o hotel que foi assaltado por quatro homens na madrugada de domingo. Beltrame lamentou o assalto e garantiu mais policiais na região.
"A Secretaria de Segurança vai utilizar as instalações que pertenciam ao Hospital Quarto Centenário, e que foram cedidas pela prefeitura, para receber reforço de policiais que serão deslocados para Santa Tereza", disse. A polícia fez o retrato falado de um dos assaltantes e requisitou a fita com as imagens da câmera de segurança do hotel para facilitar às investigações. Os quatro homens levaram os pertences de pelo menos 15 hóspedes.
Para o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Rio de Janeiro (Abih-RJ), Alberto Lopes, o assalto não vai afetar a imagem e nem reduzir o fluxo de turistas que procuram a cidade. Ele também acha que o fato não vai prejudicar a atual política de segurança do Estado.
"Foi um episódio isolado e que não vai denegrir toda uma política de segurança que vem sendo implantada pelo governo do Estado", disse. Lopes afirmou ainda que o hotel cumpriu com a obrigação de instalar um sistema de monitoramento e que as câmeras captaram a ação dos criminosos. "Dali para fora, é com a polícia", completou.
O assalto ocorreu quase cinco meses após a ocupação policial de uma favela existente no bairro para a instalação de uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP). Por volta das 3h30, os ladrões teriam pulado o muro do estabelecimento, rendido os turistas com pistolas e deixado o local uma hora e meia depois em um veículo Brava, roubado. As vítimas não relataram terem sofrido agressão.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Explosivos no Estacionamento do Santos Dumont

Estacionamento do Santos Dumont segue isolado pelo Esquadrão Antibomba

POR VANIA CUNHA

Rio - O estacionamento do Aeroporto Santos Dumont, no Centro, segue isolado por agentes do Esquadrão Antibomba da Polícia Civil. O grupo foi acionado por volta das 11h desta quinta-feira pela Infraero, após denúncia de que um carro contendo uma grande quantidade de explosivos estaria estacionado no local. A varredura examina carro por carro. Das 1048 vagas disponíveis, 300 estão ocupadas. Segundo a polícia, os motoristas têm permissão para retirar seus veículos do local, mas estão proibidos de estacionar.


Segundo Fernando Leal, comissário do 8º Esquadrão Antibombas da Coordenadoria de Recursos Especiais do Rio de Janeiro (CORE/RJ), em um primeiro momento foram utilizados espelhos para visualizar a parte de baixo dos carros. Em seguida teve início o trabalho de cães farejadores, mas até o momento nenhum carro foi identificado como suspeito. A ação conta com o apoio de agentes da Polícia Federal, da Companhia de Cães da Polícia Militar, além da Infraero, totalizando 80 homens. Apesar da suspeita, o aeroporto está funcionando normalmente com auxílio de instrumentos.
Segundo o coordenador da operação, o fato de a denúncia não ter especificado modelo ou placa do veículo que supostamente conteria artefatos explosivos dificulta o trabalho da equipe. No entanto, o trabalho só será finalizado após a inspeção de cada um dos carros estacionados.
Foto: Alessandro Costa / Agência O Dia
Policial do Esquadrão Antibomba faz buscas a uma bomba no estacionamento do Aeroporto Santos Dumont após denúncia | Foto: Alessandro Costa / Agência O Dia
Granada na Tijuca

Mais cedo, por volta das 7h30, uma granada foi encontrada em frente ao prédio do Senai/Firjan, na Mariz e Barros, Tijuca, Zona Norte. O artefato foi encontrado em uma árvore, por um funcionário da Firjan, que chamou os bombeiros e o Esquadrão Antibombas. Por conta do ocorrido, a Rua Mariz e Barros chegou a ser interditada próximo ao local para a explosão dispositivo.

A granada, que estava sem o pino, foi lançada e não houve explosão. Policiais estão tentando saber quem lançou ou deixou a bomba no local. Ninguém ficou ferido.

Polícia treina Porteiros no RJ

Para evitar assaltos em prédios, porteiros são treinados pela polícia

Quem entra, quem sai e quem fica no prédio? A segurança de milhões de brasileiros depende dos porteiros. No Rio, eles passam por um treinamento.


Os bandidos se aproximam. Disfarçado de entregador, um deles tenta entrar no prédio usando um nome comum. A moradora não está, mas o porteiro deixa o falso entregador entrar e é rendido. Poderia ser o começo de um assalto a todo o prédio, mas felizmente é uma simulação, encenada pelos porteiros que participam de um curso criado e administrado pela Polícia Militar do Rio de Janeiro.
O resultado do treinamento dos porteiros é palpável. Nos primeiros quatro meses deste ano, os assaltos à residência na área do 23º Batalhão da Polícia Militar, no Rio de Janeiro, diminuíram 35% em relação ao mesmo período no ano passado.
O porteiro Marcelo Pereira, que fez papel de bandido na simulação, tem apenas um mês de profissão como porteiro. Ele se sente mais seguro depois do que aprendeu. “Depois que a gente conhece mais nossa profissão, a gente tem noção da responsabilidade e de como exercer essa responsabilidade”, diz o porteiro.
O porteiro Roberto Nascimento, que representou o porteiro vítima, tem mais experiência, mas também ficou entusiasmado com as lições do curso. “Eles chegam numa hora em que você está despercebido. Um momentinho que você distrai é hora que ele chega. Tem que estar sempre atento”, ressalta.
As turmas, de 40 alunos, entre porteiros, síndicos e funcionários de condomínios, têm aulas teóricas e práticas. Aprendem desde prevenção de incêndios até truques para manter uma situação perigosa sob controle.
Marco e Manuel fizeram o curso quatro anos atrás. Passaram para os outros funcionários as lições que aprenderam e sublinham a atenção e os cuidados que um porteiro tem de ter sempre.
“Quando chega uma entrega da farmácia ou da padaria, o importante é morador descer e receber. Só que ele não faz isso. A gente liga e ele pede para subir”, conta Marco. “Tem de dar antes o nome e a identidade de todos eles que vão entrar no condomínio. Eles chegam, dizem para onde vão. Temos tudo anotado, é só conferir”, acrescenta Manuel.
Na aula prática, uma amostra do procedimento correto: se o morador não está, nada de permitir a entrada. Marcelo Pereira vai voltar ao trabalho consciente de que a importância do porteiro vai além de apenas abrir as portas. “Nós temos função muito maior: exercer a segurança. Se o bandido entrar, quem abriu a porta foi o porteiro. Tem de passar por nós. Quem entra ou quem sai, passa tudo pelo porteiro”, completa Marcelo.

Segurança em Condomínio - Rio Grande no Ar (Record)

quarta-feira, 13 de julho de 2011

A nova face do profissional de segurança privada

A nova face do profissional de segurança privada

Publicado no site Webartigos.com em 01/06/2010

O profissional que quiser ter sucesso e prosperidade precisa aprender a trabalhar a si mesmo com muita disciplina e persistência, alem de ter a capacidade de adequação as novas necessidades da profissão, com o advento das constantes mudanças que vem afetando o ambiente das organizações, não bastando os motivos tradicionais, o aumento da competitividade tornou-se um fator a mais para o profissional procurar qualificar-se constantemente, aprimorando seu potencial através de um processo de aprendizagem proativa.

Vejo com otimismo a melhora no nível dos profissionais de segurança privada e uma crescente nos investimentos neste mercado, principalmente na formação acadêmica, aonde vem sendo oferecido cada vez por mais universidades os cursos de graduação e pós-graduação na área da Gestão em segurança privada, dando ao profissional à oportunidade da busca ao conhecimento e conseqüentemente reduzindo os riscos inerentes ao atual mercado.

Hoje o profissional de qualquer área de atuação tem que ter um plano de ação para sua carreira e algumas ferramentas da Administração são muito eficazes neste sentido, como: criação de um network, transmitindo e recebendo feedback, uma analise dos pontos fortes e fracos para desta maneira ter conhecimento amplo das competências a ser melhoradas, uma adaptação do ciclo PDCA pode ajudar o profissional na configuração do plano de carreira, fortalecendo também sua empregabilidade.

Outro ponto de suma importância a ser observado é o fato do poder público estar revendo a legislação e apresentando novos projetos de lei, que se aprovados, irão beneficiar toda a categoria dando mais proteção ao profissional no exercício de sua função, seja em qualquer ramo da segurança privada, citando como exemplos: o novo Estatuto da Segurança Privada e a inclusão da profissão de Gestor de Segurança na CBO.

È difícil para o profissional de segurança superar o preconceito profissional que existe na maioria das organizações, mas com qualificação o profissional estará valorizando a si mesmo e a categoria, portanto cabe a cada profissional uma parcela de comprometimento em prol do todo, e estamos vivenciando esta melhoria crescente no serviço de segurança privada, onde os profissionais estão focando suas ações na solução dos problemas sem afetar a organização a que representam, ou seja, estão mais voltados para a inteligência estratégica do que para a truculência na solução das crises organizacionais, sendo esta postura um fator importante a ser observado e divulgado, no intuito de valorizar e fortalecer positivamente a imagem do profissional de segurança privada.

João Batista Martins de Souza – CES
Organizador do ESSE Sorocaba 2011

terça-feira, 5 de julho de 2011

Explosões em Bueiros RJ

04/07/2011 22h36 - Atualizado em 04/07/2011 23h30

Peritos detectaram gás em bueiro que explodiu no Centro do Rio, diz Light

Segundo Light, caixas subterrâneas ficarão abertas para dissipação do gás.
Dois homens ficaram feridos, informou Secretaria municipal de Saúde.

Do G1 RJ

A Light, concessionária responsável pelo fornecimento de energia elétrica no Rio, informou, na noite desta segunda-feira (4), que os peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) detectaram a presença de gás no local onde ocorreu a explosão de um bueiro, no Centro da cidade.

Em nota, a Light informou que, por determinação dos peritos, as caixas subterrâneas da companhia ficarão abertas para possibilitar a dissipação do gás.
A explosão ocorreu por volta das 16h, na esquina da Rua da Assembléia com a Avenida Nilo Peçanha. Duas pessoas ficaram feridas. Segundo testemunhas, a explosão ocorreu em um bueiro, mas o impacto atingiu outros três e as tampas voaram longe. Por causa do acidente, um trecho da Rua da Assembléia está fechado, entre a Avenida Rio Branco e Rua da Carioca.

Ainda de acordo com a Light, também por determinação dos peritos, a área da esquina da Rua da Assembléia com a Avenida Nilo Peçanha vai permanecer interditada e isolada. Na manhã de terça-feira (5), o ICCE vai finalizar a perícia nas instalações subterrâneas.Somente após a conclusão, as equipes da Light, que continuam no local, poderão acessar a rede da empresa.
A Light informou que o fornecimento de energia elétrica permanece normal na região. Não houve interrupção. Uma equipe da Companhia de Gás (CEG) também está no local para fazer uma avaliação das instalações.
Em nota, a CEG informou que, após realização de testes, foi identificada uma "pequena quantidade de gás em uma das caixas provavelmente não proveniente da rede canalizada. Nas outras caixas avariadas não havia presença de gás. Contudo, com o objetivo de contribuir com a investigação sobre as causas do acidente e dirimir quaisquer dúvidas, foram realizadas coletas no local para análise laboratorial. Tais análises serão acompanhadas pelo ICCE".

Multa

Em nota emitida nesta noite, a prefeitura do Rio diz que vai multar a Light por danos ao patrimônio público e interrupção de vias públicas. O texto também afirma que a prefeitura considera “inaceitáveis os incidentes e explosões nos bueiros e câmaras subterrâneas da concessionária Light na cidade, que tem colocado em risco a segurança da população e o patrimônio público”.
O valor da multa, entretanto, ainda não foi divulgado. Um dos dois homens feridos, internados no Hospital Souza Aguiar, passou por exames e foi liberado. O outro homem fez uma tomografia  está internado em observação, com o quadro estável, sem previsão de alta. As informações são da Secretaria municipal de Saúde.
De acordo com a prefeitura, a Procuradoria Geral do município está preparando medida legal contra a Light. A nota ressalta que a operação, manutenção e segurança das redes subterrâneas de distribuição de energia elétrica são de responsabilidade exclusiva da Light. Já a regulação e fiscalização desses serviços e equipamentos é de responsabilidade da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).
A prefeitura afirmou que após a explosão, no inicio de abril deste ano, de caixa subterrânea da Light em Copacabana, na Zona Sul do Rio, criou uma comissão de acompanhamento da situação. Segundo a nota, esse grupo, coordenado pela Secretaria de Conservação e Serviços Públicos, reuniu-se com a Light por diversas vezes. A Light informou à prefeitura que não tem conhecimento de risco iminente em qualquer logradouro da cidade.
Estrondo

Rodrigo mostra traseira do carro atingida por tampa de bueiro (Foto: Aluízio Freire / G1)

Rodrigo mostra traseira do carro atingida portampa de bueiro (Foto: Aluízio Freire / G1)
"A gente não tem mais segurança em andar nessa ruas. O que está acontecendo é um absurdo. Quando eu ouvi o estrondo e a tampa subindo, entrei em pânico", contou o auxiliar de serviços gerais Jorge Luiz Fernandes Lopes, de 56 anos. Ele disse ainda que perdeu o equilíbrio e caiu, machucando a perna.
O advogado Rodrigo Façanha teve o carro atingido: "Eu vinha pela Rio Branco e vi uma fumaça saindo de um bueiro. Tentei desviar, mas mesmo assim a explosão atingiu a traseira do meu carro", contou ele, que disse ainda que a tampa subiu a uma altura de 15 metros.

MP-RJ rejeita acordo da Light
Na sexta-feira (1ª), uma reunião entre o Ministério Público do Rio (MP-RJ) e a Light terminou sem acordo. O encontro visava definir a multa para cada nova explosão de bueiro da companhia. O MP-RJ rejeitou a redação final do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) apresentada pela Light, que previa multa de R$ 100 mil para cada explosão de bueiro que ocasionasse morte ou lesão corporal (grave ou gravíssima).
Procurada pelo G1 na época, a Light informou por meio de nota que "representantes da Light estiveram reunidos na manhã de hoje com o Ministério Público do Rio de Janeiro para acertar a redação final do Termo de Ajuste de Conduta que deverá ser assinado nos próximos dias".

Em entrevista ao RJTV na quinta-feira (30), o presidente da Light, Jerson Kelman, disse que está “empenhadíssimo e trabalhando duro” para resolver com rapidez os problemas que atingem as câmeras subterrâneas da empresa na cidade. Ele informou que pretende eliminar os pequenos bueiros, as pequenas caixas de junção.

Outros casos
Outros casos como este têm assustado quem anda pelas ruas do Rio. Na última terça-feira (28), um bueiro pegou fogo na Rua Senador Vergueiro, no Flamengo, na Zona Sul do Rio. Ninguém ficou ferido. Três dias antes, no sábado (25), um curto-circuito nos cabos de baixa tensão causou a explosão nas duas caixas subterrâneas da Light, em Copacabana.

No dia 19, um bueiro explodiu na Tijuca, na Zona Norte. O acidente deixou um técnico da Light ferido. Haendel Melo de Albuquerque, de 39 anos, trabalhava na rede subterrânea e sofreu queimaduras de segundo grau em 46% do corpo, principalmente nos braços e no tórax.

Em abril, houve outro caso de explosão em Copacabana. A tampa de um bueiro foi jogada a uma altura de quatro metros na Avenida Nossa Senhora de Copacabana, esquina com a Rua Bolívar. Uma cratera foi aberta no meio da rua.

Na época, a Light assumiu que havia 130 bueiros na cidade com risco de explodirem e informou que está trabalhando e fazendo investimentos para recuperar e monitorar toda a rede subterrânea da cidade. Sobre os 130 bueiros em situação de risco, a empresa disse que eles já foram inspecionados, mas não modernizados.

Homenagem aos Profissionais de Segurança Privada

Câmara Municipal de Sorocaba homenageia profissionais da segurança privada

  
Por iniciativa do vereador Geraldo Reis (PV), profissionais que atuam na área de segurança privada em Sorocaba foram homenageados pela Câmara Municipal em sessão solene, nesta quarta-feira, 29. Geraldo Reis é autor da Lei 8.840, de 12 de agosto de 2009, que institui o’ Dia do Profissional da Segurança Privada’, a ser comemorado anualmente em 20 de junho.
 A cerimônia foi presidida pelo vereador Pastor Luis Santos, e estiveram presentes, profissionais de segurança privada, representantes de sindicatos da categoria, além de outras autoridades.
A sessão teve também homenagem aos profissionais da segurança privada Alécio do Santos e João Batista Martins de Souza, que foram os organizadores do ‘I Encontro Sorocabano de Segurança Empresarial’. O vereador Geraldo Reis, enalteceu a importância do setor de segurança privada que vem crescendo em todo o mundo e no Brasil. “Hoje, o profissional dessa área, que atua em bancos, empresas e estabelecimentos privados de saúde e educação, bem como na segurança doméstica, entre outros, é um parceiro essencial da segurança pública no combate à criminalidade”, avaliou Geraldo Reis, que também ressaltou o seu trabalho a frente da Guarda Municipal na Câmara Municipal .“O reconhecimento da sociedade não é na mesma proporção e da mesma forma como gostaria, por isso me esforço muito pela valorização da GCM em nossa cidade, me proponho também a juntar forças com meus amigos, profissionais da segurança privada, na busca por mais reconhecimento”. Destacou.



O evento ainda contou com a participação do Gerente do Centro de Formação e Treinamento de Profissionais em Segurança, Elon Christovam, que falou sobre a classe dos profissionais de segurança privada, e com a apresentação musical do grupo Angel.